Tratamento e cirurgia de varizes em curitiba. Tire suas dúvidas sobre: varizes, vasculites, tratamento de varizes, cirurgia de varizes, cirurgia endovascular, traumatismo vascular, arteriosclerose, pé diabético, aneurisma arterial, insuficiência renal, etc. Mantenha-se informado sobre as possíveis soluções do tratamento vascular.

O que é escleroterapia?

O termo escleroterapia deriva de "escleros", que em grego significa endurecer. Existem vários tipos de escleroterapia, sendo as mais utilizadas a química (injeções) e a térmica (laser).

Qual é o melhor tipo de líquido esclerosante?

Em medicina é difícil definir o melhor ou pior. Nós acreditamos que o melhor seja aquele que trate o vaso sem o risco de úlceras pós-escleroterapia. A glicose 75% é nosso líquido ideal. Além das vantagens diretas, tem a vantagem de ser um produto natural e, portanto, não causa reações sistêmicas ou anafiláticas.

Porque às vezes o tratamento não funciona?

Muitas vezes os "vasinhos" têm uma veia matriz, que impede o sucesso do tratamento. Nesses casos a solução é a retirada da matriz com cirurgia, utilizando a técnica da agulha de crochê. Ainda, em alguns casos existe o acometimento de veia(s) safena(s).

Quais os tratamentos mais indicados?

Varizes e microvarizes: cirurgia.

Telangiectasias (conhecidas popularmente como "vasinhos"): escleroterapia com injeção de substância esclerosante.

Tem cura?

Tratamos os vasos dilatados, mas não é possível tratar a tendência. Vasos finos devem ser tratados e posteriormente deve ser feita manutenção. Alguns casos necessitam de reoperação (em média após 10 anos), se não forem feitos os eventuais retoques e a manutenção em consultório.

Escleroterapia tem riscos?

Sim, o líquido esclerosante é injetado dentro da veia e cai na corrente sanguínea. Qualquer medicamento pode provocar alergia/choque anafilático, principalmente se injetado via endovenosa. Outra complicação é a úlcera pós-escleroterapia. Para evitar essas complicações, a escleroterapia deve ser feito por especialista: Cirurgião Vascular. Utilizo como esclerosante na grande maioria dos pacientes a glicose 75% que, por ser um líquido natural e muito viscoso, não apresenta risco de choque anafilático ou úlceras isquêmicas.

Após uma sessão de Escleroterapia devo evitar o Sol?

Sim. Evite a exposição ao sol por uns 15 dias logo após a aplicação, para que não ocorram manchas escuras (hipercromia) no trajeto da variz em tratamento. Caso tenha que se expor ao sol, será conveniente usar um bloqueador ou filtro solar nesta região.

Links: Tetra Web Sites|Desenvolvimento de sites e internet marketing em Curitiba

Tetra Web |Web Design e Marketing online| Curitiba