Procedimentos endovasculares

Acesso venoso central

O acesso venoso central permite ao seu médico oferecer o medicamento diretamente na corrente sanguínea diminuindo a necessidade de punção dos vasos sanguíneos. Na confecção do acesso venoso central, um tubo longo, fino (cateter) é introduzido através de uma punção de uma veia geralmente no pescoço, ou no peito.

Aneurisma de aorta abdominal – endovascular

Seguindo a evolução tecnológica na Medicina, a cirurgia vascular também progrediu, podendo ser realizado em casos selecionados de aneurisma de aorta abdominal o tratamento endovascular com próteses que são colocadas por dentro do aneurisma através do cateterismo das virilhas, sem a necessidade de abertura do abdome. Esse tipo de tratamento é indicado principalmente para os pacientes com alto risco cirúrgico para o tratamento cirúrgico aberto. Seu tempo de recuperação para o tratamento endovascular é normalmente mais curto que a cirurgia aberta, e sua permanência de hospital pode ser reduzida a 2 a 3 dias. Porém, este procedimento requer um acompanhamento com exames de imagem (angiotomografia) mais freqüente e é mais provável requerer manutenção periódica do que o procedimento aberto.

Angioplastia – com ou sem stent

Durante um procedimento de angioplastia um cateter, é inserido em um pequeno furo em sua virilha e conduzido com guia por suas artérias até a área doente. Uma vez lá, um balão especial preso ao cateter é insuflado e esvaziado várias vezes. O balão empurra a placa de aterosclerose da artéria contra suas paredes alargando a sua luz. Em algumas circunstâncias, um tubo de metal minúsculo chamado de stent pode ser colocado na área estreitada de sua artéria para mantê-la aberta. O sangue então flui mais livremente pela artéria, melhorando a sua circulação.

Angioplastia de carótida

É um procedimento minimamente invasivo desenvolvido para tratar doença aterosclerótica da artéria carótida para evitar o Acidente Vascular Cerebral Isquêmico ou AVCI. Geralmente é executado com anestesia local. Para executar este procedimento, seu cirurgião vascular insere um cateter por um pequeno furo na virilha e guia o mesmo por seus vasos sanguíneos até sua artéria carótida que fica no pescoço. O cateter leva um balão minúsculo que é insuflado enquanto empurra a placa contra as paredes da artéria. Logo, o médico coloca um tubo de metal minúsculo chamado stent na artéria para mantê-la aberta. Para os pacientes que têm condições médicas que aumentam o risco de endarterectomia da carótida (cirurgia aberta), angioplastia e stent podem ser uma boa alternativa.

Certificações / Titulos

Passe o mouse para ampliar

Destaques

Uma agulha é introduzida na veia comprometida guiada por imagens de ecografia vascular e realizamos a injeção da espuma esclerosante.

Espuma ecoguiada

Consiste no disparo do Laser através da pele promovendo a destruição da varicosidade pela dissipação de calor intenso, localizado e seletivo.

laser transdérmico

O tecido alvo reage com a energia da luz, O procedimento é minimamente invasivo e não requer anestesia geral.

laser endovenoso

É um tratamento para o refluxo venoso superficial, uma alternativa menos invasiva a cirurgia tradicional.

radiofreqüência

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dr. Walter Jr. Boim Araujo - CRM: 19850-PR;

Especialista em Cirurgia Vascular (RQE nº 14638); Ecografia Vascular com Doppler (RQE nº 333); Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular (RQE nº 1489).

Desenvolvido por: Paulo Henrique