Tratamento de varizes por radiofreqüência

O procedimento de Tratamento de Varizes por radiofreqüência é uma alternativa de tratamento minimamente invasivo com menos dor e menos hematomas quando comparada à cirurgia convencional de retirada da veia safena.

É realizado através da inserção de um cateter e aquecimento da parede da veia com temperatura controlada de energia por radiofreqüência, ocasionando o fechamento da veia safena doente fazendo com que o sangue se direcione para veias saudáveis.

Vantagens do procedimento

O procedimento de radiofreqüência proporciona os seguintes benefícios:

1. É um procedimento minimamente invasivo;

2. O Cateter é inserido na veia através de uma pequena incisão na parte inferior da perna, eliminando a necessidade de cirurgia na virilha e anestesia geral;

3. O procedimento pode ser realizado em casos selecionados com anestesia local em um ambiente hospitalar ambulatorial;

4. Menos dor pós-operatória;

5. Retorno a atividade normal de trabalho e significativamente mais rápido do que na cirurgia de retirada das veias safenas;

6. Excelentes resultados clínicos com taxa de eficácia de 97,4 % de fechamento da veia safena em um ano.

radiofreqüência

Dúvidas referentes ao tratamento

1. O que é o refluxo venoso superficial?

Refluxo venoso superficial é uma condição que se desenvolve quando as válvulas que normalmente mantém o retorno venoso tornam-se danificados ou doentes. Isso faz com que o sangue se acumule nas pernas. Os sintomas mais comuns de refluxo venoso superficial incluem dor, inchaço, sensação de peso nas pernas e fadiga, bem como as varizes em suas pernas.

2. O que é procedimento de Radiofreqüência para tratamento de varizes?

É um tratamento minimamente invasivo para o refluxo venoso superficial. Um cateter fino é introduzido na veia através de punção ou de uma pequena incisão (abertura). O cateter proporciona energia de radiofreqüência para a parede da veia, fazendo com que o calor ocasione o seu colapso e fechamento.

3. Como é feito o tratamento para o refluxo venoso superficial?

Uma vez que as válvulas doentes não podem ser reparados, a única alternativa é redirecionar o fluxo sangüíneo através das veias saudáveis.

Tradicionalmente, isto tem sido feito através da remoção cirúrgica (Safenectomia) da veia problemática de sua perna. O procedimento de radiofreqüência proporciona uma alternativa menos invasiva à cirurgia tradicional simplesmente fechando a veia com problema. Uma vez que a veia doente é fechada, outras veias saudáveis assumem a função de esvaziamento de sangue de suas pernas.

4. O que diferencia o tratamento de varizes por Radiofreqüência do tratamento convencional de retirada da Safena (Safenectomia)?

Durante um procedimento de Safenectomia, o cirurgião faz uma incisão (corte) na virilha e no tornozelo ou joelho e utilizando um intrumental cirurgico conhecido como fleboextrator puxa e retira a veia de sua perna.

No procedimento de Radiofreqüência, não há necessidade de cirurgia na virilha. Em vez disso, a veia permanece no local e é fechada através da utilização de um cateter especial inserido através de uma pequena punção e/ou microincisão. Isto pode eliminar os hematomas e dor, muitas vezes associada a safenectomia (geralmente resultante da ruptura de veias colaterais enquanto a veia safena é puxada).

5. O procedimento de Radiofreqüência é doloroso ?

Você receberá uma anestesia local ou regional (raqui ou peridural) para anestesiar a área de tratamento.

6. Quando posso retornar às atividades normais ?

Muitos pacientes podem retomar suas atividades normais mais rápidamente do que se tivesse sido submetido a cirurgia convencional. O tempo para o retorno depende também dos procedimentos realizados conjuntamente (retirada de ramos varicosos colaterais, veias perfurantes etc).

7. Quando vou sentir melhora dos meus sintomas ?

A maioria dos pacientes relatam uma melhora notável em seus sintomas dentro de 1-2 semanas após o procedimento.

8. Existem riscos potenciais e/ou complicações associadas ao procedimento de Radiofreqüência?

Como acontece com qualquer intervenção médica, potenciais riscos e complicações também existem com o procedimento de radiofreqüência. Todos os pacientes devem consultar seus médicos para determinar as suas condições de apresentar quaisquer riscos específicos. Seu médico irá analisar as possíveis complicações do procedimento na consulta. Complicações potenciais podem incluir: a perfuração do vaso, trombose, embolia pulmonar, flebite, hematoma, infecção, parestesia (dormência ou formiguamento) e queimadura da pele.

9. Qual é a eficácia do procedimento de Radiofreqüência?

Dados de um estudo prospectivo multicêntrico mostraram taxa de oclusão da veia de 97,4% um ano após o tratamento.

10. O que acontece com a veia tratada deixado para trás na perna?

A veia torna-se simplesmente tecido fibroso após o tratamento. Ao longo do tempo, a veia vai gradualmente sendo incorporada em tecido circundante. Um estudo relatou que 89% das veias tratadas são indistinguíveis de outros tecidos do corpo, um ano após o procedimento de fechamento.

11. Qual a opinião dos pacientes que realizaram o procedimento de Radiofreqëncia para tratamento de varizes?

98% dos pacientes que se submeteram ao procedimento de radiofreqüência estão dispostos a recomendá-lo a um amigo ou membro da família com problemas semelhantes nas veias da perna.

Certificações / Titulos

Passe o mouse para ampliar

Destaques

Uma agulha é introduzida na veia comprometida guiada por imagens de ecografia vascular e realizamos a injeção da espuma esclerosante.

Espuma ecoguiada

Consiste no disparo do Laser através da pele promovendo a destruição da varicosidade pela dissipação de calor intenso, localizado e seletivo.

laser transdérmico

O tecido alvo reage com a energia da luz, O procedimento é minimamente invasivo e não requer anestesia geral.

laser endovenoso

É um tratamento para o refluxo venoso superficial, uma alternativa menos invasiva a cirurgia tradicional.

radiofreqüência

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dr. Walter Jr. Boim Araujo - CRM: 19850-PR;

Especialista em Cirurgia Vascular (RQE nº 14638); Ecografia Vascular com Doppler (RQE nº 333); Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular (RQE nº 1489).

Desenvolvido por: Paulo Henrique