Tratamento endovascular de fístulas artériovenosas pós-traumáticas em membros inferiores.

Walter Junior Boim Araujo; Jorge R. Ribas Timi; Diego de Almeida; Filipe Carlos Caron.

Cirurgia Vascular e Endovascular, Núcleo Integrado de Cirurgia Endovascular e Pesquisa - NICEP; H. São Lucas e H. Angelina Caron, Curitiba, Brasil;

INTRODUÇÃO: As fístulas arteriovenosas (FAV) podem ser congênitas ou adquiridas.

As FAV adquiridas decorrem de traumas fechados ou, mais comumente, lesões penetrantes, com laceração tanto da artéria como da veia, estabelecendo uma comunicação direta e imediata entre ambas.

A correção está indicada devido ao seu desenvolvimento progressivo e suas conseqüências, como insuficiência venosa crônica e insuficiência cardíaca congestiva.

A complexidade e a morbidade potencial associada ao reparo cirúrgico de algumas FAV têm suscitado interesse pelo reparo endovascular.

OBJETIVO: Relatar três casos de Correção Endovascular de FAV pós-traumática;

TIPO DE ESTUDO: Análise descritiva de três relatos de caso;

Relato de caso - Caso 1

Paciente Masculino, 38 anos, submetido à cirurgia ortopédica artroscópica em joelho direito um mês antes da primeira consulta. Apresentou dor, edema de joelho e perna direita. Ao exame apresentava frêmito e sopro em fossa poplítea direita.

Angiografia digital evidenciou fístula arteriovenosa entre a artéria e veia poplítea abaixo do joelho. Foi submetido a tratamento endovascular percutâneo com implante de duas endopróteses vasculares tipo Atrium Advanta V12 7x38mm com sucesso primário do procedimento.

FAV FAV
FAV FAV

Relato de caso - Caso 2

Paciente Masculino, 32 anos, após ferimento por projétil de arma de fogo em membro inferior esquerdo há 7 anos passou a apresentar dor, dormência e sensação de peso no membro acometido. Ao exame apresentava edema, varizes, frêmito e sopro em fossa poplítea esquerda.

Angiografia digital evidenciou fístula arteriovenosa entre artéria e veia poplítea acima do joelho. Foi submetido a tratamento endovascular percutâneo com implante de endoprótese Medtronic Talent 18x16x80mm, com fechamento completo da fístula.

FAV FAV

Relato de caso - Caso 3

Paciente Masculino, 73 anos, submetido à arterioplastia de artéria poplítea abaixo do joelho em membro inferior direito devido à doença aterosclerótica 8 meses antes da primeira consulta. Evoluiu com persistência do quadro de claudicação limitante, além de iniciar com edema, dormência e peso do membro acometido. Ao exame apresentava cicatriz cirúrgica infragenicular, frêmito e sopro em fossa poplítea direita.

Angiografia digital evidenciou fistula arteriovenosa entre a artéria e veia poplítea abaixo do joelho. Submetido a tratamento endovascular percutâneo com implante de endoprótese Gore Viabahn 6x40mm com resolução da fístula.

FAV FAV

Conclusão

A abordagem pouco invasiva, a diminuição das perdas sanguíneas e a possibilidade de atingir locais anatomicamente distantes e de difícil acesso cirúrgico, tornam o tratamento endovascular para FAV traumática de membros inferiores um procedimento factível com elevada taxa de sucesso e um baixo índice de complicações, como evidenciado em diferentes séries da literatura.

Referências bibliográgicas

Barbaros E. Çil, Ilkay Akmangit, Bora Peynircioglu, Musturay Karçaaltincaba, Saruhan Çekirge. Iatrogenic femoral arteriovenous fistula: endovascular treatment with covered stent implantation and 4-year follow-up. Diagn Interv Radiol 2006; 12:50-52

Baltacioglu F, Cimsit NC, Cil B, Cekirge S, Ispir S. Endovascular stent-graft applications in iatrogenic vascular injuries. Cardiovasc Intervent Radiol 2003; 26:434-439.

Ramacciotti E, Gerardi Filho VA, Fagundes DJ. Tratamento endovascular de fístulas artériovenosas: revisão e atualização de literatura. Acta Cir Bras [serial online] 1999 Jan Mar; 14(1).

Ramacciotti E, Gerardi Filho VA, Fagundes DJ. Tratamento endovascular de fístulas artériovenosas: revisão e atualização de literatura. Acta Cir Bras [serial online] 1999 Jan Mar; 14(1).

Criado E, Marston WA, Ligush J, Mauro MA, Keagy BA. Endovascular repair of peripheral aneurysms, pseudoaneurysms,and arteriovenous fistulas. Ann Vasc Surg 1997; 11:256-263

Instituição

Serviço de Cirurgia Vascular, Endovascular e Ecografia Vascular com Doppler. Instituto da Circulação, Curitiba, PR. Brasil;

Informações adicionais

As informações contidas nesta página foram apresentadas no seguinte evento:

39º. Congresso Brasileiro de Angiologia e Cirurgia Vascular, 2011, São Paulo, SP. Brasil.

Certificações / Titulos

Passe o mouse para ampliar

Destaques

Uma agulha é introduzida na veia comprometida guiada por imagens de ecografia vascular e realizamos a injeção da espuma esclerosante.

Espuma ecoguiada

Consiste no disparo do Laser através da pele promovendo a destruição da varicosidade pela dissipação de calor intenso, localizado e seletivo.

laser transdérmico

O tecido alvo reage com a energia da luz, O procedimento é minimamente invasivo e não requer anestesia geral.

laser endovenoso

É um tratamento para o refluxo venoso superficial, uma alternativa menos invasiva a cirurgia tradicional.

radiofreqüência

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dr. Walter Jr. Boim Araujo - CRM: 19850-PR;

Especialista em Cirurgia Vascular (RQE nº 14638); Ecografia Vascular com Doppler (RQE nº 333); Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular (RQE nº 1489).

Desenvolvido por: Paulo Henrique